O que são OKR’s e como usá-los nas estratégias da sua empresa

por | 20 jun 22 | Uncategorized | 0 Comentários

Em todo ano novo, imaginamos quais serão nossos objetivos pessoais, o que desejamos fazer para aquele novo ciclo: começar a treinar, ler vários livros, aprender a cozinhar, etc. 

Não é diferente com empresas, com a diferença de que o cumprimento de suas metas é uma questão muito mais delicada e complexa.

Na hora de pensar em como será o ano da sua empresa, é fundamental que você separe um tempo para definir exatamente aonde quer chegar, e como vai fazer para que o seu plano prospere. Caso contrário, sua empresa corre o risco de não chegar a lugar algum.

Pensando nisso, uma boa forma de não se perder, e de tornar a jornada da sua empresa mais consistente é desenhar sua estratégia com OKR’s.

O que são OKR’s?

OKR’s é a sigla, em inglês, de Objectives and Key Results, que representam o formato da metodologia: apontar um objetivo principal, e quais serão os resultados-chave que levarão à realização desse objetivo.

Basicamente, para cada meta almejada pela empresa, são listados indicadores de sucesso muito bem alinhados com seu propósito. É importante ressaltar que esse propósito não é apenas daquele objetivo em si, mas de toda a cultura da organização.

Essa ferramenta surgiu há décadas na Intel, e é utilizada, de diversas maneiras, por empresas de vários portes ao redor do mundo. O Google, por exemplo, a tem utilizado desde o fim da década de 90, e não parou até hoje. 

Como definir seus OKR’s

Como dito anteriormente, o propósito da empresa deve ser o primeiro a se considerar nas suas estratégias. A partir dessa identidade, o caminho da instituição deve ser ramificado, a fim de que a empresa cresça sem medo de se perder na jornada.

Por isso, durante o processo de definição de OKR’s, é necessário que o time todo participe de forma ativa. Dessa forma, todos seguem para uma mesma direção, e se sentem mais responsáveis pelo sucesso da equipe.

Além disso, outro ponto de partida importante é se basear em dados. Afinal de contas, como podemos saber aonde vamos, se nem sabemos o que está acontecendo? Portanto, dê uma olhada nas suas métricas, tais como: CSAT, Lifetime Value, CAC, Churn, etc.

Em seguida, separamos os termos da sigla, começando pelos seus Objetivos:

Objetivos

Estabelecer um objetivo é nomear a linha de chegada. Para que a linha de chegada fique clara para os colaboradores, sua descrição deve ser sucinta e qualitativa, sem parecer vazia. Por fim, a meta deve seguir os princípios AID, os quais são:

  • Alinhado: gestores e times devem estar amplamente conscientes do objetivo, entendendo quais serão seus papéis e responsabilidades, e como devem trabalhar entre si para contribuir com aquilo.
  • Inspiracional: não pode ser um objetivo qualquer! É preciso estimular os colaboradores com algo desafiador, que saia da zona de conforto da empresa, considerando seus limitadores.
  • Direcional: os líderes precisam estruturar o plano de acordo com prioridades, organizando bem as tarefas entre as áreas e os membros. Ainda, são responsáveis por mostrar o valor da contribuição dos envolvidos e como as coisas se encaixam.

Key Results

Com o objetivo determinado, chega o momento de estruturá-lo em resultados-chave. Além de dialogarem entre si, tal qual acontece com o objetivo, os Key Results seguem alguns critérios de qualidade SMART, os quais são:

  • eSpecífico: o status no qual a meta seria atingida não pode ser subjetivo, deve estar bem apontado.
  • Mensurável: é importante que o resultado possa ser acompanhado por números, métricas, KPI’s, etc. Uma vez que dados trazem um controle bem maior da situação.
  • Alcançável: a corporação deve ser desafiada, mas é preciso tomar cuidado com planos e metas irreais, as quais somente desestimulariam seus membros.
  • Relevante: nem todo desafio faz sentido para a sua empresa, portanto traga algo que vá impactar no crescimento do seu negócio.
  • Temporal: os seus planos precisam ter início, meio e fim. Organize as atividades, e tente seguir um cronograma.

Acompanhando seus OKR’s

Após os planos de ação serem postos em prática, resta a missão de acompanhá-los e garantir que eles estão sendo seguidos e estão gerando resultados. Nesse sentido, existem algumas formas de operar esse acompanhamento.

KPI’s

Já mencionadas anteriormente, as KPI’s são um tipo de métrica direcionada, conectadas a um objetivo específico. Com base nelas, suas decisões se tornam extremamente assertivas. Aqui você pode entender melhor como elas funcionam. 

Reuniões com os envolvidos

Há três agentes com os quais você deve manter contato frequente: o colaborador, através de 1:1s; o time e/ou área com a qual você atua; o cliente, buscando se alinhar com suas expectativas.

Dito isso, há algumas boas práticas que você pode utilizar para conduzir esses encontros. É sempre importante escutar o que as partes têm a dizer, e gerenciar a produtividade da sua equipe.

Faróis

Uma forma de ilustrar melhor o status em que se encontra o alcance de suas metas é o farol: vermelho significa que a meta não está sendo cumprida, amarelo indica que está quase lá, e verde aponta para a contemplação do resultado esperado.

Para designar as faixas do farol, você pode sentar com a sua equipe e estabelecer porcentagens ou valores absolutos da realização das metas, de acordo com o que entenderem que se encaixa melhor com a realidade da empresa.

Vamos imaginar um exemplo simples: uma empresa vai para um congresso regional, e põe como meta levar 75% de seus funcionários, ou seja, a partir de 75% o objetivo estará no verde. Note que o amarelo é uma margem de proximidade do verde.

#paratodosverem: a imagem de um semáforo, com círculos nas cores vermelha, amarela e verde, atribuindo os valores de 0%, 65% e 100%, respectivamente e em sequência. Ainda, uma faixa atravessa os círculos, e ela possui as cores destes, na mesma sequência, trocando do vermelho para o amarelo em um ponto antes de chegar no círculo amarelo, onde está atribuído o valor de 55%, e do amarelo ao verde em um ponto após sair do círculo amarelo, onde é atribuído o valor de 75%

Conclusão

Visto isso, o trunfo dos OKR’s é organizar o seu planejamento estratégico em componentes que estão interligados e vão sustentar a sua trajetória do início ao fim. Consequentemente, sua empresa será muito mais eficiente, e o time estará mais comprometido.

Ao longo do ano, reflita sobre o andamento dos processos. Observe se a corporação está caminhando, corretamente, para o objetivo, e colete feedbacks, pois algumas coisas podem precisar ser corrigidas.

Se você procura melhorar as estratégias da sua organização, ou sente que os procedimentos internos que você estabeleceu no começo do ano não estão gerando o sucesso que você desejava, a UFABC Jr. nossa parceira oficial pode ter a solução perfeita!

Entre em contato, e eles ajudarão resolver sua dor.

Fonte: https://ufabcjr.com.br/o-que-sao-okrs-e-como-usa-los-na-sua-empresa/

Publicações relacionadas

Você sabe qual a Vantagem Competitiva da Sua Empresa?

Análise Teórica dos Modelos de Vantagem Competitiva de Michael E. Porter   professor da Harvard Business School Link do artigo de um dos artigos mais importantes sobre Vantagem Competitiva de SaaS (Software as a service) que é o vintage...

ler mais
Close Bitnami banner
Bitnami